Arquivo | Experimental RSS feed for this section

Hercules & Love Affair – My House

30 nov

Depois do aclamadíssimo debut auto-intitulado Hercules & Love Affair, o super grupo nova-iorquino está de volta com um novo single, “My House”, carro-chefe do novo álbum, ironicamente intitulado Blue Songs, que sai no finalzinho de Janeiro já. Quem dá os vocais na vez é o novato Shaun Wright, que faz a perfeita personificação de disco-diva nessa aqui, em conjunto com batidas retro-moderninhas e suingue pra dar de sobra. Porém, não espere um hit à-la “Blind” (considerada pela Pitchfork como a canção do ano em 2008), mas sim uma divertida canção que promete remixes melhores ainda. Ouça o novíssimo single na íntegra logo abaixo, e aguarde por Janeiro, um mês que já está prometendo.

Hercules & Love Affair – My House

FOE – A Handsome Stranger Called Death

29 nov

Quando ouvi essa música da FOE, me lembrei imediatamente da primeira vez que ouvi Florence and the Machine. Um pop teatreal, que conta uma história sob vocais quase fantasmagóricos, assim como “Girl With One Eye” e “My Boy Builds Coffins”, que te agarra pela narrativa e te faz voltar pela melodia. Podemos dizer, então, que “A Handsome Stranger Called Death” é o brilhante primeiro single de uma artista que diz seguir os passos do Nirvana, Pixies e Sonic Youth, principalmente pela atitude de “fazer o que der na telha”, mas que também possui um pé tanto nos anos 90 quanto nos anos 2000. Com produção do ótimo também-novo-artista Entrepreneurs (que fez um explosivo remix pra Marina & The Diamonds aqui), a música te agarra logo no início, mas é no seu delicioso refrão, que só chega depois da metade da música, que ela nos conquista por completo. Sem mais, fiquem com a música e seu vídeo sombrio logo abaixo, e aguardem por mais notícias da moça.

FOE – A Handsome Stranger Called Death

http://www.youtube.com/watch?v=ydFKCd-aIQs

White Sea – Ladykiller

29 nov

Você provavelmente já ouviu a voz por trás do White Sea. Vocalista do projeto dream-pop M83, a cantora também conhecida como Morgan Kibby está se aventurando agora em sua carreira solo, e se o primeiro single “Ladykiller” é alguma indicação, ela irá me conquistar de um jeito que sua banda antiga não conseguiu. Apelando para uma melodia mais pop, a música começa com um clima sombrio que parece ser mais uma música de witch-house, porém soando como uma agradável mistura entre Bjork e Bat For Lashes. Agora chegando no refrão a coisa muda. A melodia perde o ar dark e ganha batidas pulsantes um tanto quanto alegres, com Kibby, aos gritos, clamando ser uma “ladykiller”. Uma divertida e charmosa surpresa, que deve render mais um bom lançamento para 2011, White Sea acaba de lançar um EP, que pode ser ouvido na íntegra no MySpace da cantora.

White Sea – Ladykiller

Panda Bear – Last Night At The Jetty

12 nov

O Panda Bear está lançando uma série de singles, mas isso você já sabe, e agora, chegou a vez de sair o lançamento do terceiro dos quatro discos a serem lançados. Dessa vez saiu a “Last Night At The Jetty”, música que o cara já vinha tocando em alguns festivais afora. Com os vocais harmoniosos típicos do cara, Panda Bear continua na sua jornada através de singles fantásticos, dessa vez com a canção mais melódica e até mais “pop” das que já sairam. Como disse, a qualidade entretanto continua altíssima, e resta agora ouvir o lado-b do single, “Drone”, que sai com o lançamento do single físico no final de Dezembro. Do jeito que tá indo, o Tomboy promete ser um dos melhores lançamentos do ano que vem, mesmo com a maioria das suas músicas lançadas nesse ano. Ouçam o single abaixo.

Panda Bear – Last Night At The Jetty

Tanlines – Real Life / S.A.W.

4 nov

Um dos nomes mais legais do eletrônico do ano é o Tanlines, e enquanto nenhuma dessas duas faixas que vou apresentar  são exatamente novas, ambas vão estar presentes no debut dos caras, Volume On, que sai em Dezembro agora. Se você já conhece a banda, essa é a única novidade que trago, agora se você ainda não conhece, se prepare para ouvir um dos sons mais legais do ano. “S.A.W”, lançada em 2009 ainda, foi a primeira música do grupo a incluir vocais, e fez parte de um EP em conjunto com o SALEM, mas não se engane só por causa da companhia. A música passa longe do clima sombrio do outro grupo, e enquanto eles significam a noite, “S.A.W” significa o dia, ou melhor, o amanhecer, que com sintetizadores ensolarados e um vocal relaxado e contido, a música irá te fazer lembrar da sua última melhor viagem, com todo um climão de férias. “Real Life”, por outro lado, com batidas house misturadas a tambores africanos à-la Vampire Weekend, tem todo um clima de praia, com um refrão mais marcante e até uns sotaques africanos, lembrando bastante o ótimo Delorean que já falamos aqui, só que mais seco.

As duas faixas valem a pena serem ouvidas, e se curtiu, aguarde pelo álbum que está prestes a sair.

Tanlines – Real Life

Tanlines – S.A.W.

Patrick Wolf – Time of My Life

4 nov

Depois de lançar o The Bachelor e dar uma passadinha no Brasil ano passado, Patrick Wolf está de volta com um novo single, “Time of My Life”, que vai sair no seu novo álbum The Conqueror com lançamento para Maio do ano que vem. A música mantém os violinos clássicos das produções do cara e tira qualquer resquício de eletrônico possível (“Oblivion” estou olhando pra você), acrescentando palmas, pianos e um refrão um tanto quanto simples. “Happy without you”, o cara canta sem cessar no refrão, numa canção que obviamente fala da vida após um trágico relacionamento. Os violinos certamente dão o tom dramático da música, mas o destaque fica para o belíssimo bridge, quando toda a bagunça para e Patrick canta apenas sobre um violão acústico, adicionando toda a carga de emoção necessária. Ouçam o novo single abaixo e aguardem por mais novidades.

Patrick Wolf – Time of My Life

Mixtape: OH MY ROCK, It’s Halloween!

30 out

Bem vindo a nossa primeira Mixtape do ano, a de Halloween! Tudo bem que aqui no Brasil nem comemoramos direito, mas festas a fantasia sempre rolam, sem contar que é um bom motivo para relembrarmos algumas músicas mais sombrias, e aproveitarmos para entrar no clima. Começando com Lady Gaga, passando por Crystal Castles, Animal Collective e SALEM, temos de tudo nessa aqui, até algumas música que deixei de fora do blog e outras favoritas do ano passado. Independente do que você irá fazer na noite de amanhã, a playlist está agradável até mesmo para ouvir de besteira. Baixe a mixtape e confira a tracklisting logo abaixo.

Ouça e Baixe tudo AQUI →

Avey Tare – Oliver Twist

28 out

Depois do sucesso estrondoso do Merriweather Post Pavillion, um dos melhores da década passada, Avey Tare, uma das cabeças por trás do Animal Collective, resolve ir solo pela primeira vez. A história vocês já conhecem, e depois do primeiro single “Lucky 1”, cheguei a ficar até um pouco desanimado a ouvir o disco, o Down There. Maior erro. Embora nenhuma delas tenha aquela produção mirada pra estratosfera do álbum anterior, e nem sejam instantâneas, as músicas desse disco vão crescendo devagar, tanto em suas melodias quanto na cabeça dos ouvintes.

Falando em estratosfera, em “Oliver Twist”, Avey já começa gritanto “Rocket!”, e o que se sucede é uma canção com poucas batidas e um vocal cavernoso, enlameado, com sons de água pingando. A música começa de forma bizarra e desordenada, mas vai ganhando corpo e melodias (e um refrão maravilhoso em seu último minuto), que no final, com palmas e uma percussão a mais, parece soar como a trilha sonora perfeita para um baile de dança de fantasmas num pântano. Se ela tem uma coisa em comum com as músicas anteriores da banda, é sua originalidade e capacidade de te prender depois de algumas vezes. Assim, o que no princípio parecia ser apenas um b-side do Animal Collective, com paciência, se torna uma brilhante canção de pop experimental, que só poderia ter saído da mente do líder de um dos melhores grupos da atualidade.

♫ Avey Tare – Oliver Twist

Perfume Genius – Mr. Peterson / Look Out, Look Out

28 out

Conheça Perfume Genius, nome artístico do cantor e compositor Mike Hadreas, de Seattle. Assim como a foto nua e crua acima, suas músicas são canções melancólicas compostas de sua voz e de seu piano apenas, mas o que pode parecer simples demais, é compensado pela complexidade de suas letras e pela imersão que essas acabam causando. Como a gravação do seu disco, o Learning, foi toda feita em sua casa, o ar lo-fi permeia todas as suas composições, e é seu primeiro single, “Mr. Peterson”, que mais brilha e leva vantagem nesse quesito.

Cantando sobre a relação com um homem mais velho, o jovem protagonista de 16 anos detalha seu amor reprimido, em uma pequena historinha que vai desde o primeiro momento em que fumou com o cara, até o seu final chocante onde o homem entrega ao protagonista uma fita cassete do Joy Division e se joga de um prédio. Tudo sob um vocal sombrio e uma produção crua como citei acima, mas que juntos criam um resultado nada menos que belo. A segunda música que queria destacar é “Look Out Look Out”. Dramática e de uma sensibilidade sem igual, a música, assim como anterior, é simples e eficaz, e com um piano e resquícios de uma orquestra, ela consegue soar como uma versão não finalizada de um clássico que poderia ter sido gravado pelo The National, e é uma canção que posso ver claramente sendo tocada nos momentos mais dramáticos de uma próxima temporada de Skins. Fiquem com as duas músicas abaixo, e ouçam o Learning por completo clicando aqui ou após o jump, se curtirem.

♫ Perfume Genius – Mr. Peterson

♫ Perfume Genius – Look Out, Look Out

Ouça Aqui o Álbum Completo!! →

A Lull – Weapons For War

27 out

Se você gosta de Animal Collective ou Yeasayer, e suas batidas tribais misturadas com elementos criativos e inesperados, se prepare para conhecer A Lull. O nome pode não ser o melhor de todos, mas basta ouvir o primeiro single do álbum Confetti, que sai em 2011, que você já vai querer ficar de olho na banda. “Weapons For War”, se chama, e é um pop criativo, bizarro e cheio de ideias, que começa comfortável e se transforma numa selva de texturas de sua metade em diante, com uma produção nada convencional que usa flautas, suaves elementos eletrônicos e um canto tribal que parece ser feito por alienígenas, que vai te deixar assoviando logo depois de ouví-lo. Complementada por um vídeo igualmente bizarro (mas igualmente bonito de se ver), a música nos deixa ansiosos para ver o futuro da banda, que no momento se prepara para o lançamento do seu álbum. Baixem a música abaixo e aguardem por mais notícias.

♫ A Lull – Weapons For War

http://vimeo.com/14251448