SHOW: OK Go @ Estúdio Emme (SP)

21 set

OK Go no Estúdio Emme

Vou ser muito sincero ao dizer que eu estava cheio de expectativas para esse show, e das piores. A primeira era sobre o lugar: o Estúdio Emme é um lugar muito bacana mas peca por ser pouco divulgado, e todas as vezes em que eu fui (e não foram poucas) estava vazio. Ver o OK Go com a casa vazia não tem graça. A segunda seria a do próprio grupo, como seria o show de uma banda que tem os melhores clipes do mundo sob a minha perspectiva? Como manter a mesma experiência? Terceira era sobre o setlist, pois eu não tinha ouvido muito o último disco e de acordo com o que havia sido publicado pela casa, seria a tour dele. Vamos ser claros que as músicas mais divertidas dos caras são a do segundo disco (Oh No), e que um show deles sem tocar nenhuma música do mesmo seria uma pena.

Abertura do Show

Ao chegar no estúdio não tive surpresa alguma, a fila estava pequena. O esquema do lugar é o pior possível, retirar os ingressos na bilheteria e comprar fichas de bebidas (ninguém é de ferro) tudo nos caixas na entrada do local, mas a casa é muito boa.  Ao entrar, para o meu espanto, a casa estava quase cheia e no começo do show estava lotada. Antes de entrarem não teve nada, apenas algumas músicas tocando (Miike Snow para levantar a expectativa dessa semana) e um DJ escondido debaixo da mesa de som. O OK Go merecia um esquenta no nível do Bonde do Rolê. Sem demoras os caras entraram no palco e abriram com Invincible derrubando a minha expectativa. Junto com a música veio uma chuva colorida de papéis picados que se seguiria por várias outras músicas e que mostrava a identidade festeira do grupo. Durante o show, câmeras acopladas nos microfones dos integrantes eram transmitidas no telão atrás deles. Para dizer um oi, Damian Kulash (vocal) leu um pequeno texto em portugês, no qual ele se intitulou de gringo estúpido e que só sabia falar aquilo na nossa língua. Seguiram-se várias outras do segundo CD como A Million Ways, A Good Idea At The Time misturadas com as do CD novo e, acredite, até do primeiro (aquele que é auto intitulado e quase impossível de se achar para baixar). Na hora de Oh Lately It’s So Quiet Damian pediu que tirassem os celulares, isqueiros ou até notebooks para acompanharem balançando ao som da música e aproveitou para antes falar um pouco sobre o que sabia sobre os brasileiros.

Damien

Quando as guitarras ameaçaram Here It Goes Again o público já sabia que um dos pontos altos do show viria. Novamente a chuva de papéis veio e o público começou a pular, no último refrão ele convidou alguém da platéia para o ajudar a tocar a guitarra. A primeira menina não conseguiu o feito, mas sim um beijo (forçado) do vocalista. Já a segunda menina convidada para ir ao palco conseguiu e ajudou no refrão. Na hora de tocar Last Leaf Damian pegou seu violão e microfone e foi tocar no meio da galera. Te conto que foi uma das iniciativas mais legais que eu já vi em um show internacional.

Do nada, uma mesa podia ser vista no meio do palco, ela estava preenchida com sinos de mão. Seguiu-se com a parte mais interessante de todo o espetáculo aonde todos os quatro integrantes do grupo, perfeitamente sincronizados, tocaram com o sinos e o vocal perfeito de Damian a What To Do. Tudo isso não perdeu a graça quando o bateirista Dan Konopka deixou cair um dos sinos, pelo contrário, tornou tudo ainda mais divertido. Antes de um breve intervalo Damian ensaiou o refrão grudento de This Too Shall Pass, e eu te conto que foi lindo. Essa junto com WTF? é uma das melhores faixas do novo albúm e ouvir todos cantando foi de arrepiar.

"What To Do" com os Sinos Sagrados

Durante o intervalo todas as guitarras e o baixo foram trocados. Terminado o break os quatro entraram de terno e se posicionaram de costas para o público, um ao lado do outro. Um barulho pôde se ouvido enquanto a parte de trás de seus trajes exibiam vários leds que rodavam as iniciais do nome do grupo como um caça níquel, até juntos formarem OK GO escrito. Nessa hora todos pegaram suas respectivas guitarras e começaram a tocar WTF?, o baixo de Tim Nordwind continha leds atrás das cordas que mostravam algumas partes da letra da música. Na ponta do baixo e das duas guitarras continha lasers, os quais eles apontavam para a platéia no meio da música. Para terminar com chave de ouro veio Do What You Want com um final prolongado para fazer do show inesquecível. O Damian ainda pediu para que todos levantassem as mãos para que eles batesse uma foto. A mesma está disponível na página do Facebook dos caras para que, se você foi no show, se localizar e se marcar.

Damian tira foto da platéia para o Facebook do grupo

Em suma, eu te conto que foi um dos melhores shows da minha vida, e olha que isso derruba Little Joy e Friendly Fires juntos. O tempo foi perfeito, não muito curto, nem muito longo. O setlist foi digno de um país que nunca recebeu a banda antes e a experiência manteve a diversão que você tem em qualquer um dos vídeos deles. Nos resta torcer para que eles voltem.

Depois de São Paulo eles ainda passaram por Porto Alegre, antes de se mandarem para Espanha. Hoje de manhã ainda estreiou um clipe novo deles, o White Knuckles, então cola aí e dá uma olhada:

Imagens: Dodalobo e Fashion4fun

Anúncios

Uma resposta to “SHOW: OK Go @ Estúdio Emme (SP)”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Tweets that mention SHOW: OK Go @ Estúdio Emme (SP) « -- Topsy.com - 21/09/2010

    […] This post was mentioned on Twitter by Rafael Rautha, Oh My Rock. Oh My Rock said: SEÇÃO NOVA ♫ SHOW: OK Go no Estúdio Emme (SP) @ http://is.gd/fkxv8 As crônicas de @rafaelrautha no show do OK Go […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: